Jan Åke Jonsson Adeus, final de uma era em Saab

Jan Åke Jonsson, o timoneiro vai
Jan Åke Jonsson, o timoneiro vai

Na Reunião Geral Anual da Spyker, uma era da Saab chegou ao fim. Jan Åke Jonsson, na 1973 na GM e desde 6 anos CEO da Saab, se despediu.

Jonsson sempre foi o “silencioso sueco” da dupla de liderança da Saab. Ninguém tinha grandes esperanças quando assumiu como CEO em Trollhättan, Jonsson era considerado uma pessoa GM impecável.

Mas Jonsson era o homem certo, no lugar certo, no momento certo. Um golpe de sorte único para Saab.

Aqueles que assistiram aos eventos em Trollhättan viram as primeiras pequenas mudanças nos suecos. A qualidade dos veículos melhorou, novos detalhes de equipamentos foram introduzidos contra a resistência dos contadores de grãos GM e projetos como o diesel ambiental verde em todos os segredos possíveis.

Jonsson usou uma maneira discreta e sueca de combater a grande mãe de Detroit, o que teria gostado da pequena marca sueca descartada. Nos festivais de Saab, a banda tocou músicas sobre o sonho da liberdade, os fãs e os funcionários da Saab entenderam esses sons suaves.

Sem o seu compromisso, não haveria reinício de Saab após a GM, Victor Muller sem que Jonsson não tivesse chance. Em negociações com a administração, os bancos e GM Jonsson foram quem poderia adquirir a confiança especial dos parceiros de negociação.

Pessoalmente, a maneira de Jonsson de fazer as coisas sem muito barulho e mostrar, muito satisfeito. Saab e Trollhättan têm muito para agradecer.

Se as circunstâncias de sua partida não são o que ele merece, Saab sofreu uma grande perda. Qualquer que seja o futuro e o que os planos futuros possam ter, só desejamos coisas boas da Alemanha. Continue em Saabing Jan Åke!

Texto: tom@saabblog.net

Um pensamento em "Jan Åke Jonsson Adeus, final de uma era em Saab"

  • em branco

    esse homem era a alma de saab e o homem absolutamente certo em seus dias.
    Talvez o momento mais difícil precise de outro CEO, mas isso não diminui o desempenho de um jaj.
    Saab deve estar fora da defensiva.

Os comentários estão fechados.